U.Mode

Mercado jeans no Brasil: conheça o projeto criado pela Denim City SP

Com 138 anos de história, o jeans é o queridinho do consumidor brasileiro e a peça mais democrática do mundo. Hoje, esse setor movimenta cerca de 8 milhões de reais por ano. Pensando nisso, a Denim City SP lançou, junto com empresas estratégicas que atuam no segmento têxtil, o projeto Jeans do Brasil, com o objetivo de fomentar o mercado jeans no Brasil, criando valor para as peças produzidas em território nacional.

Quer saber mais sobre a moda jeans brasileira e o projeto Jeans do Brasil? Continue a leitura!

Como está o mercado jeans no Brasil?

A moda é a segunda maior empregadora de mão de obra no país. Existem na moda brasileira 1,5 milhões de trabalhadores diretos e 8 milhões contando com os indiretos, sendo 75% mulheres, de acordo com a Associação Brasileira das Indústrias Têxtil – Abit. E, quando se fala especificamente da confecção de jeans, o país tem uma das produções mais sustentáveis do mundo.

Ainda falando do impacto ambiental, segundo o manual produzido pela Denim City SP, 75% da fibra produzida no Brasil possui certificação socioambiental. Também, 96% do algodão brasileiro é irrigado pela água da chuva. Em adição, é possível citar a diminuição da poluição causada pelo transporte na importação de peças produzidas fora do país. Foi utilizando todos esses argumentos que a Denim City juntou-se à marcas como: Santista, Lycra, Capricórnio, Colovan e Canatiba, para lançar o projeto Jeans do Brasil.

Qual o projeto da Denim City SP?

O projeto lançado pela Denim City SP, em parceria com marcas que atuam na área na área têxtil, traz a proposta de valorizar o mercado de jeans no Brasil. Para isso, a campanha usa argumentos ligados à geração de empregos, diminuição do impacto ambiental, pela ausência da necessidade do transporte na importação, além da produção de algodão em território nacional, onde apenas 4% não é irrigado pela água da chuva.

Segundo Maria José Oriente, coordenadora da entidade, o objetivo do projeto é conseguir viralizar a divulgação, para que possa chegar ao público consumidor. A coordenadora vem contando com o levantamento das bandeiras: geração de empregos e sustentabilidade. Dia 16 de junho deste ano foi quando as redes sociais viralizaram a primeira postagem do movimento.

Todas as confecções e marcas que aderiram ao projeto receberam um material, tanto com as instruções para venda, de forma que convençam o consumidor a comprar o produto brasileiro, quanto com a arte do projeto, com uma comunicação específica, que deverá ser incorporada no forro dos bolsos ou etiquetas dos jeans.

Relações sustentáveis

Entre as marcas parceiras, a Tecnoblu merece destaque. Isso porque ela une a identidade da marca em uma proposta sustentável e única. No processo de co-criação, eles alinham os diferenciais da marca e suas propostas de valores ao design, com muita pesquisa e tecnologia, beneficiando o consumidor final. O estúdio lança etiqueta tecida, tag, lacre, metal, etiqueta decorativa, cadarços, etiqueta cós, botões e rebites, com muitas opções de materiais e processos de fabricação diferenciados.

Forro personalizado do projeto | Foto: Manual projeto Jeans do Brasil.

Existem outros movimentos?

Além do projeto Jeans do Brasil, outras iniciativas podem ser citadas nesta área. Entre elas, o projeto Pegada Hídrica, idealizado pela Vicunha Têxtil e Movimento ECOERA, em parceria com a H2O Company e ONG Iniciativa Verde. Ele tem como objetivo uma moda jeans mais transparente e sustentável, e é focado na economia de água durante a confecção de jeans.

“O projeto Pegada Hídrica Vicunha calculará o volume de água gasto em toda a sua cadeia de produção, desde o plantio do algodão até o final do processo, durante a lavagem na casa do consumidor” – diz Chiara Gadaleta, fundadora da ECOERA.

A iniciativa foi lançada 7 de novembro de 2018, em São Paulo. Um de seus resultados foi um estudo que expôs o gasto de 5.196 litros de água para cada calça jeans fabricada em território nacional. O mercado jeans no Brasil, apesar de consumir muita água, continua sendo um dos mais sustentáveis. E o principal motivo é a produção de algodão em regime de sequeiro, 96% das safras de algodão são irrigadas pela chuva. Por isso essa é uma das bandeiras levantadas pelo projeto Jeans do Brasil. Os interessados em informar-se melhor sobre o movimento deverão entrar em contato com a Denim City SP pelo e-mail: info@denimcity.org.br.

Deixe uma resposta