U.Mode

Fast fashion e slow fashion: Entenda quais são os diferentes impactos

Não é muito comum ter certos tipos de reflexões quando alguma roupa nova é comprada. Os impactos ambientais ocasionados durante a fabricação da coleção de moda, assim como as condições de trabalho necessárias, não são muito avaliados.

Entretanto, é importante enfatizar que, ao comprar uma peça, você investe no consumo consciente ou inconsciente. Por isso, é importante saber de que forma ela é feita e como é pensada para gerar lucro. Entenda um pouco melhor sobre os conceitos fast fashion e slow fashion, que têm tudo a ver com o que foi abordado até agora! 

Fast Fashion

Afast fashion, ou moda rápida, é uma criação de larga escala que as empresas produzem para vender algumas peças mais baratas, economizando mão de obra. Algumas marcas que costumam fazer esse tipo de moda são Zara, Renner, H&M e Forever 21. Rapidamente, esses modelos são importados para outros países.

Como consumo é rápido e transitório por meio dos preços mais baixos, as empresas que custeiam essas coleções estão sempre com a tendência de moda mais atual, e suas peças duram pouco para que sejam produzidas em larga escala.

Impactos socioambientais da fast fashion

Geralmente, os países que estão relacionados à fast fashion são considerados de terceiro mundo. Isso porque o custo de produção é bem menor devido à mão de obra barata e à falta de leis trabalhistas eficientes. Já surgiram até diversos escândalos envolvendo mão de obra escrava com marcas que seguem essa ideia de consumo.

Além disso, a fast fashion implica em outros impactos ambientais. Com o objetivo de fazer uma peça com pouca qualidade e curto prazo de duração, as empresas que investem nessa moda gastam litros de petróleos com tecidos sintéticos e de má qualidade, que são jogados fora rapidamente e não têm um descarte correto. Alguns poluentes são encontrados em grande escala nos oceanos e aterros sanitários vindo de corantes têxteis sintéticos não descartáveis, não demonstrando a característica de sustentabilidade.

Slow Fashion

Em contrapartida, a slow fashion é considerada uma moda lenta, tanto em produção quanto em consumo. Ela segue a coleção de moda que está em evidência, mas como existe um tempo maior de desenvolvimento para as peças, também é seguida uma personalidade única do público-alvo, tornando-se algo atemporal para os clientes que são mais apegados à certas tendências.

O slow fashion estimula a produção handmade no mercado | Fonte: unsplash.com

A linha seguida pela slow fashion é ligada a um estilo minimalista, que acompanha uma ideia de armário cápsula. Suas peças são mais duráveis e dificilmente descartadas, indo ao oposto da cultura do consumo rápido. 

Impactos socioambientais da Slow Fashion

Como esse estilo tende a ter um processo mais lento, a produção da slow fashion aparece em menor escala e auxilia no desenvolvimento das lojas menores de bairro, fazendo ligações com costureiras pequenas e incentivando a economia local.

Além disso, sua produção agride muito menos o meio ambiente e possui mais sustentabilidade na criação. Isso porque as empresas que custeiam essa moda preferem produtos e fibras naturais reutilizáveis, como o algodão orgânico sem agrotóxicos, que demora menos na decomposição. Seu estímulo encoraja a moda consciente e a diversidade ecológica, social e cultural, o que constrói um relacionamento mais próximo entre consumidor e produtor.

Deixe uma resposta