moda evangélica

Moda evangélica: Saiba como adaptar a sua coleção para esse nicho

Um grande número de pessoas no Brasil identificam-se com a vertente evangélica do cristianismo. Por isso, a moda evangélica mostra-se um importante e crescente nicho de mercado para estilistas e outros profissionais da moda. No entanto, os seguidores dessa religião possuem um conjunto de valores próprios que são refletidos inclusive no modo de vestir. Sendo assim, hoje iremos oferecer dicas de como adaptar sua coleção ao vestuário evangélico.

O que é moda evangélica?

Em primeiro lugar temos que conceituar o que é moda evangélica. Esse é, justamente, o nicho do mercado da moda que visa atingir o público evangélico. Sendo assim, as peças buscam adequar-se aos valores e costumes dessa parcela da população. Apesar de que pesquisas apontam que, cerca de 10% dos consumidores desse nicho não são evangélicos, mas sim pessoas que gostam de roupas mais “comportadas”.

Dica 1: Tente entender o seu público

Esse é o primeiro passo para adaptar sua coleção para qualquer público que queira alcançar. Busque entrar em contato com pessoas que se identifiquem como evangélicas e descobrir as suas demandas dentro da moda. Tente também compreender, na medida do possível, o juízo de valores dessa parcela da população. Assim poderá conciliar no seu trabalho às tendências da moda, pois eles querem sim segui-las.

Dica 2: Pesquise as tendências próprias deste segmento

O comportamento de consumo desses indivíduos também deve ser levado em conta. O que eles querem vestir? Quais são as tendências próprias desse segmento? Essas são perguntas importantes que você deve fazer antes de começar a criar sua coleção. São elas que irão guiar o processo de criação artística. Se você conseguir respondê-las, irá, com certeza, obter êxito em criar produtos atrativos para seu público. Você pode visitar eventos, revistas e sites especializados neste segmento da moda.

Dica 3: Fuja do sensual

A maneira de vestir-se dos evangélicos apresenta certas restrições baseadas em sua fé. Existem muitas diferenças nas regras de vestuário entre as diversas igrejas existentes, contudo, em uma coisa existe consenso: a preferência por roupas mais comportadas. Pensando em moda feminina, por exemplo, decotes menos ousados, pouco uso de transparências, saias e vestidos longos são boas opções. Então uma boa dica para quem está desenvolvendo uma coleção de moda pensada para esse público é fugir do sensual.

Evite decotes muito abertos, transparências, vestidos curtos e saias com cortes laterais. Outra coisa para ressaltar é a questão de que, em algumas denominações evangélicas, o uso da calça por mulheres é desaconselhado, ou seja, esse é mais um ponto para prestar atenção enquanto estiver formulando sua coleção. No tocante à moda masculina, existem grupos que desaconselham o uso de bermudas por parte de seus membros. Sobre cores, não existe nenhuma restrição religiosa, porém é um comportamento comum nos membros deste grupo a busca por tons mais sóbrios e estampas menos chamativas.

Dica 4: Fuja do profano

Algumas vertentes do protestantismo repudiam o uso de referências da cultura pop. Isso deve ser algo a pensar durante o processo construção das peças. Busque estampas que não representem figuras que possam ferir os valores dos seus futuros consumidores. Se possível, coloque algo que represente ou faça parte da religiosidade destas pessoas. Podemos citar, por exemplo, citações bíblicas ou frases que estejam relacionadas ao credo do grupo em questão.

Dica 5: Traga as tendências

Mesmo com as restrições de vestimentas que os evangélicos seguem por conta da fé, eles querem sentir-se incluídos no mundo fashion. Então, cabe ao estilista pensar em maneiras de como trazer a  tendência de moda que está em alta no mercado para as particularidades da população evangélica.

Deixe uma resposta